Tornar-se jogos de download

Não aceite "oportunidades" de trabalho que não queiram te pagar

2020.10.01 22:12 mvpetri Não aceite "oportunidades" de trabalho que não queiram te pagar

*ou que paguem bem pouco
Post longo. O "Nem li nem lerei" é: Não aceitem que pessoas peçam para você fazer algum trabalho que tome seu tempo sem pensar em remuneração. Não há o que justifique, ela estará fazendo você de trouxa apenas.
Há alguns dias uma pessoa postou aqui no sub pedindo ajuda para traduzir a descrição de um app. O desenvolvedor era da Turquia e ele percebeu que muitos downloads eram feitos no Brasil. Algum aplicativo de instagram. O Brasil tem um mercado enorme para apps, principalmente para os de redes sociais, mas o impacto é muito menor se o app não estiver em português por conta que mais de 90% das pessoas não fala inglês ou outra língua. E qualquer desenvolvedor que não sabe disso, assim que começa a perceber que o Brasil tem um potencial bom já aprende. Seja pelos comentários de usuários, seja porque as estatísticas mostram que a relação entre pessoas que baixam e que continuam usando aqui é menor.
Enfim. Este desenvolvedor postou aqui e pediu para mandar DM. Eu tenho experiência com tradução há vários anos já então mandei a mensagem. Outro usuário comentou no post que iria mandar DM para ele também.
O OP daquele post então me respondeu. Disse que só faltava a descrição e perguntou se eu poderia ajudar. Pela forma como ele me respondeu eu fiquei alerta, pois percebi que ele insistia em dizer que queria uma ajuda. Mas quando eu olhei o texto, não era tradução de uma ou duas frases. Era uma descrição completa. Contei quantas palavras tinham, estimei o tempo que eu iria demorar e pelo meu valor por hora mandei uma proposta. Depois disso ele me deu ghosting e não respondeu mais. Até aí OK, vida segue. Se ele não gostou da proposta não é obrigado a responder nem a negociar. Mas eu lembrei que outro BR tinha respondido no post e mandei uma mensagem dando um alerta. Expliquei o que tinha acontecido da minha parte e falei que ele tinha me dado ghosting e que parecia que ele queria que alguém fizesse de graça. Não sou ninguém pra dizer o que alguém deve ou não fazer, mas dei aquele alerta para não deixar alguém tirar proveito assim de graça. Afinal, o valor que eu pedi era menor do que 5 assinaturas que o app dele cobrava (já desconsiderando a taxa de 30% da app store). Se o fato de traduzir ajudasse a fazer 5 pessoas a assinar por estar em PT, o restante seria lucro dele. Então é ridículo, eu penso, querer que alguém faça isso de graça.
A resposta que o outro user me deu foi que aconteceu algo parecido com ele. Assim que ele mencionou um valor, foi ignorado pelo cara. E depois disso ele até deletou o post. Talvez porque não conseguiu o que queria, ou talvez porque outro BR viu e achou que seria legal ajudar e aceitou não receber... Se for esse último caso, é uma pena. Eu duvido que esse desenvolvedor iria desenvolver um app de graça para mim, por que então ele acha que eu iria traduzir de graça para ele?
Outro exemplo bastante similar foi ontem quando eu achei no twitter uma empresa polonesa que tem um app de RPG de gatinhos (não sei se fizeram o jogo para crianças ou furries, mas enfim). Vou até linkar o tweet: https://twitter.com/castle_cats/status/1311305180324016128
We're looking for translators! Contact us to be part of development!
(Estamos em busca de tradutores! Entre em contato para fazer parte do desenvolvimento!)
Nada indica que é trabalho não pago. Mandei um email e eles me responderam rapidamente... Infelizmente a resposta foi assim:
In case you didn't know, all the localization of Castle Cats is done by our amazing fans. It is a charitable contribution and involves no real payment. But, if you help out we will happily give you any kind of in-game reward as a well-deserved 'thank you' - if you want it.
(Caso não saiba, toda a tradução de Castle Cats é feita por nossos fãs maravilhosos. É uma contribuição voluntária e não envolve pagamento real. Mas, se você ajudar, nós ficaremos felizes em dar qualquer tipo de prêmio in-game, assim como o tão merecido "obrigado" - se você aceitar.)
Eu queria mandar eles tomarem no cu, mas para não queimar nenhuma possível relação futura eu mandei só um:
Unfortunately, I am unable to accept it without proper compensation. Especially considering the app seems to have a well stablished business model and translating it and making it accessible in Brazil would have a positive impact on increasing its revenue. Thank you for your offer, though. If you change your mind about the possibility of payment, please let me know.
E foi aí que se encerrou tudo. O pior de tudo é que vendo os comentários tanto do twitter quanto do instagram, há muita criança de 14-16 anos que gostaria de "colaborar" sem estarem totalmente cientes que estão sendo exploradas.
Eu sei que o post ficou grande, mas é para mostrar exemplos de como há pessoas que não se importam com os seres humanos mesmo quando essas pessoas buscam relações próximas para colaborar em seus projetos. Minha sugestão é nunca aceitar trabalho não remunerado ou mal pago. MESMO se você for iniciante, jovem, e acreditar que isso vai te dar alguma experiência. Se você está na posição de não ter experiência o suficiente para conseguir algo pago, em vez de aceitar esses trabalhos ridículos, procure algum projeto que ou seja seu, ou seja um ato voluntário para uma causa que você realmente acredita. Quando eu comecei a traduzir, comecei fazendo legendas. Ninguém me pagaria para fazer porque eu nem inglês sabia direito. O que eu optei por fazer, felizmente, foi traduzir vídeos de palestras TED, que na época eram importantes para mim, vídeo aulas da plataforma Coursera, que até hoje é uma causa que eu valorizo, e séries que eu gostava. Eu estava dando valor a um grupo sem receber por isso, é verdade, mas a relação era bem diferente. Porque eram coisas que eu acreditava e não iriam se tornar acessíveis se não fosse ajuda de voluntários. Diferentemente desses "empreendedores" que criam apps ridículos e não querem gastar uma fração do lucro que vão receber pelo seu trabalho.
submitted by mvpetri to brasil [link] [comments]


2020.03.28 11:46 tatubolinha2000 Mantenha-se informado 28/03

📰 JRMUNEWS 🗞 Ano 2 – Nº 405 🗺 Notícias do Brasil e do Mundo 🗓 Sábado, 28 de março de 2020 ⏳ 88º dia do ano no calendário gregoriano 🌘 Lua Crescente 11% visível
💭 Frase do dia: "A verdadeira coragem é ir atrás de seu sonho mesmo quando todos dizem que ele é impossível." - Cora Coralina
Hoje é dia... 🔹 das Comunicações Navais 🔹 do Diagramador 🔹 das Lutas Estudantis 🔹 do Movimento Hora do Planeta 🔹 do Revisor
😇 Santo do dia: 🔹 São Guntrano 🔹 São Xisto III
🎂 Municípios aniversariantes: Fonte: IBGE • Alto do Rodrigues-RN • Augusto Correa-PA • Campos dos Goytacazes-RJ • Charqueadas-RS • Dobrada-SP • Embu-Guaçu-SP • Gararu-SE • Guzolândia-SP • Indiaroba-SE • Itaporanga d'Ajuda-SE • Juquitiba-SP • Muribeca-SE • Queiroz-SP • Rondinha-RS • Tutóia-MA • Uchoa-SP
🇧🇷 BRASIL 🇧🇷 ✍ Bolsonaro diz desconfiar do número de vítimas do coronavírus em SP ✍ Governo anuncia R$ 40 bi para financiar salários de empresas ✍ Ações para enfrentar coronavírus totalizam R$ 700 bi, diz Guedes ✍ Governo proíbe temporariamente entrada de estrangeiros no Brasil ✍ Prefeitos dizem que Bolsonaro gera insegurança e ameaçam ir à Justiça ✒ Rodrigo Maia considera medidas econômicas importantes, mas tímidas ✒ Senado votará na segunda auxílio de R$ 600 para trabalhadores ✒ Câmara aprova dispensa de atestado médico a trabalhador com covid-19 ⚖ MPF quer impedir acesso de turistas a comunidades tradicionais em SP ⚖ Moraes autoriza rito simplificado para tramitação de MPs ⚖ Justiça derruba decreto de Bolsonaro que liberava igrejas e lotéricas ⚖ Tribunal cassa prisão domiciliar e mantém doleiro Dario Messer na cadeia ⚖ Lewandowski concede prisão domiciliar a mãe que amamenta em prisão de SP ⚖ STF valida lei do Paraná que permite venda de bebidas em estádios ⚖ Justiça proíbe Bolsonaro de adotar medidas contra isolamento social 📌 Entidades religiosas reforçam necessidade do isolamento social 📌 Governadores articulam campanha contra Covid-19 em reação a Bolsonaro 📌 Filhos de Bolsonaro se filiam ao Republicanos, partido de Crivella 📍 Governador do Rio vai decretar mais 15 dias de medidas restritivas 📍 Crivella pede liberação de FGTS para trabalhadores no Rio 📍 Eduardo Paes vira réu em investigação sobre obra de complexo para as Olimpíadas 📍 Paraíba multará quem compartilha 'fake news' sobre coronavírus 📍 Doria faz boletim de ocorrência após receber ameaça de morte 🌳 Sitiante leva multa de mais de R$ 20 mil por derrubada irregular de árvores em Alfredo Marcondes-SP 📊 Brasileiro teme bem mais o coronavírus do que efeitos econômicos, indica pesquisa
🌎 INTERNACIONAL 🌍 🇨🇳 China volta a fechar cinemas por medo de nova onda de covid-19 🇺🇸 Pastor que chamou coronavírus de histeria morre da doença nos EUA 🇬🇧 Após minimizar pandemia, premiê britânico anuncia que foi infectado 🇮🇹 Prefeito de Milão na Itália diz que foi um erro tentar manter cidade funcionando 🇻🇦 Em ato inédito, Papa reza sozinho e concede perdão coletivo Urbi et Orbi 🇮🇹 Itália vai estender fechamento de escolas por coronavírus 🇦🇷 Argentina decreta fechamento total de fronteiras até o fim do mês 🇫🇷 França estende quarentena de coronavírus por mais duas semanas 🇺🇸 Secretário do Tesouro dos EUA diz estar satisfeito com aprovação de pacote de US$ 2 trilhões
🖤 MORTES 🖤 ✝ Daniel Azulay, desenhista, vítima de coronavírus, no Rio, aos 72 anos ✝ Bob Andy, cantor de reggae do hit 'Young, Gifted and Black', aos 75 anos
🧫 CORONAVÍRUS (Covid-19) 😷 😷 Brasil tem 92 mortes e 3,4 mil casos confirmados 😷 Casos passam de 100 mil nos EUA; são 25 mil mortes no mundo 😷 Um terço da população mundial está em isolamento 😷 Receita Federal doa 5 milhões de luvas para combate ao coronavírus 😷 Entidades alertam para importância do isolamento contra a covid-19 😷 Vírus pode sobreviver até 3 dias fora do corpo; depende da superfície
💰 ECONOMIA 💲 💰 Ibovespa cai 5,5%, mas tem melhor semana desde março de 2016; dólar sobe a R$ 5,10 💰 Petrobras reduz preço da gasolina em 5% e o do diesel em 3% nas refinarias 💰 Ipea sugere reajustar Bolsa Família em 29%, mais R$ 450 por família 💰 Caixa considera pausar prestações de imóveis por até 6 meses 💰 Corte na arrecadação de Sesc/Senac pode causar demissão de 10 mil 💰 Contas de luz terão bandeira verde em abril, sem cobrança extra, diz Aneel 💲 Bolsas europeias caem, mas têm melhor semana desde 2011 💲 Presidente da Caixa defende redução dos juros de todas as linhas de crédito 💲 24% das empresas operam com paralisação parcial ou total na indústria eletroeletrônica 💲 Empresas anunciam doações para combate a pandemia de coronavírus no Brasil 💲 Fitch rebaixa rating do Reino Unido de AA para AA-, com perspectiva negativa 📊 Indicadores 27/3: 🏦 Ibovespa 73428 pontos 📉 💵 Dólar Canadá R$ 3,648 📈 💵 Dólar Comercial R$ 5,108 📈 💵 Dólar Turismo R$ 4,90📈 💶 Euro R$ 5,621 📈 💷 Libra R$ 6,296 📈 💸 Bitcoin R$ 31.736,60 📉 💸 Bitcoin Cash R$ 1.063,24 📉 💸 XRP R$ 0,87 📉 🔶 Ouro (g) R$ 266,83📈 ⚪ Prata (g) R$ 2,3757📈 💰 Poupança 0,245% a.m. 💰 Selic 3,75% a.a. 💰 CDI 3,65% a.a. 💰 IPCA a.m. fev/20 0,25% 💰 IPCA a.a. 2020 0,4605% 💰 IPCA acum. 12m 4,0049% ⛽ Petróleo Brent (barril) US$ 25.065📉 ⛏ Minério de Ferro 62% US$ 88,60 🐂 Boi (@) R$ 200,50📉 💨 Algodão (@) R$ 90,23 📈 ☕ Café (sc) R$ 566,67📉 🌽 Milho (sc) R$ 59,50 📈 🥚 Ovos (30 dz) R$ 102,16↔ 🥜 Soja (sc) R$ 98,82📈
🔬 CIÊNCIA, TECNOLOGIA & SAÚDE 💓 💓 Fiocruz comandará estudo clínico sobre covid-19 em novo centro 🖱 Download do game brasileiro 'Gartic' dispara 1.600% na quarentena
🏆 ESPORTES 🏆 ☑ Com campeonatos parados, PSG e Barcelona reduzem salários ☑ Ajax recebe multa por confusão com Deyverson e cadeiras quebradas ☑ Corinthians divulga símbolo comemorativo dos 110 anos de história
🎭 ARTE & FAMA 🌟 🎙 Dua Lipa lança 'Future Nostalgia', pop perfeito para aliviar dias difíceis 🎙 Bob Dylan lança música inédita de 17 minutos após oito anos de hiato 🎙 Sem produzir músicas desde 2016, Rihanna lança 'Believe It' de surpresa 🎙 Em meio a pandemia do coronavírus, MV Bill lança single 'Quarentena' 🎙 Julia Konrad lança seu primeiro single, ''Vuelve'', versão de Johnny Hooker 🎙 Pearl Jam lança 'Gigaton', primeiro álbum em sete anos 🎙 Assessoria de Eduardo Costa nega doação de R$ 2,5 milhões 🎙 Bon Jovi lança música com participação do príncipe Harry; 'Unbroken' 🎙 Till Lindemann, vocalista do Rammstein, é internado na UTI e teste para coronavírus dá negativo 🌟 Após passar por UTI, jornalista Marcelo Magno da Globo Piauí tem alta hospitalar 🌟 Empresa de Kim Kardashian vai doar US$ 1 milhão para combate ao coronavírus 🌟 Justiça de São Paulo manda marcar exame de DNA em Silvio Santos 📺 Grey's Anatomy terá 16ª temporada encurtada por causa do coronavírus 📺 Cão que interpretou lobo de Bran em 'GoT' morre após luta contra câncer 📺 Após queixa de bispo da Record, SBT afasta Lívia Andrade do 'Fofocalizando' 📺 Dispensa de visagista da CNN Brasil gera medo por mais demissões 🎞 Doutor Estranho 2 começará filmagens em junho, sem atraso pelo coronavírus 🎞 Coleção de R$ 600 mil em armas dos filmes de '007' é roubada em Londres
🔎 #FAKENEWS: Não é verdade que Ronaldo Caiado é cercado pelo povo de Goiás após anunciar que rompeu com Bolsonaro. Fonte: Boatos..org
🛳 TURISMO ✈ 🎒 Conheça Praia do Espelho-BA: Um dos destinos mais visitados na alta temporada na Bahia tem nome: Praia do Espelho. O nome sugestivo é facilmente explicado. Antes chamada de Coruípe, a praia mudou de nome por abrigar águas tão claras que mais parecem espelhos refletindo paisagens paradisíacas. As outras praias do entorno tão lindas quanto Espelho são: Setiquara, Outeiro, Jacumã e dos Amores, acessíveis a partir de caminhadas na maré baixa. O clima bucólico fica evidente na areia das praias em que não se encontra sequer uma cadeira de plástico. As barracas dispõem caprichosamente de espreguiçadeiras com almofadas e esteiras sobre a areia trazendo o máximo de conforto aos visitantes. Alguns mirantes acima das falésias revelam exuberâncias. Alguns passeios de barco partindo da Praia do Espelho estão entre opções divertidas em direção ao Rio dos Frades, Trancoso, Caraíva e Corumbau. As pousadas são como uma extensão das praias, pois oferecem tanta tranquilidade, conforto e belezas quanto as paisagens litorâneas. Além da vista que descortina o mar, os quartos são equipados com tecnologia de ponta, camas espaçosas, ambientes arejados ao ar livre com espaço para gazebos e redes, piscinas e algumas com hidromassagem. Algumas abrigam quadra de esportes e salão de jogos. Assim, as noites de lazer são garantidas. Ao anoitecer as velas são acesas e um espaço para jantar ao ar livre é preparado. A fartura de pratos gastronômicos e carregados de sabores é garantido. Se quiser mais agitação procure algumas barracas de praia que, vez ou outra, tocam música ao vivo e também servem deliciosos pratos regionais. Muitos turistas optam por fazer um bate volta de Trancoso, devido aos altos preços. Porém, nada como passar uns dias desfrutando da paisagem. Fonte: Guia Viagens Brasil
📚 FIQUE SABENDO... ... O que aconteceria se os polos Sul e Norte derretessem? ⁉ De acordo com Paulo Roberto dos Santos, professor do Instituto de Geociências da USP, se as geleiras subitamente derretessem os resultados seriam catastróficos. “A Flórida, nos Estados Unidos, por exemplo, ficaria reduzida a apenas quatro pequenas ilhas”, afirma. Segundo ele vastas áreas costeiras, hoje densamente povoadas, ficariam submersas e poderiam se tornar um gigantesco aquário, dominado por organismos marinhos que acompanhariam a subida do nível do mar por volta de 70 metros. Paulo Roberto dos Santos afirma ainda que a catástrofe e o custo desse evento estão muito além dos nossos cálculos e compreensão. Fonte: O Guia dos Curiosos
📖 BÍBLIA: Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem que falte a vocês coisa alguma. Tiago 1:2-4 🙏
Que seu dia seja como a vontade de DEUS: bom, perfeito e agradável!! 🥖
By JRMUNEWS 🐞 🗺 Pariquera-Açu-SP 📝 Fazendo diferente e a diferença
🤓 LEIA E COMPARTILHE 📤
Visite, curta, siga, comente, avalie, compartilhe nossa página no Facebook:
https://www.facebook.com/JRMUNEWS/
submitted by tatubolinha2000 to DiretoDoZapZap [link] [comments]


2020.01.28 15:31 Charles_Bronsonaro Finlandês responde: Qual é a diferença entre o socialismo nos países nórdicos e na Venezuela?

Eu sou um finlandês, eu posso responder essa questão de cabo a rabo. Do nosso ponto de vista essa pergunta é um insulto, mas eu acredito que você não queria nos insultar, então eu vou lhe perdoar.
Na história dos países nórdicos (Suécia, Finlândia, Noruega, Dinamarca e Islândia), houve duas tentativas de implantação do socialismo: em 1918 e 1939–1944. Vamos dar uma passada por esses eventos pra melhor entender como nós nos sentimos com relação ao socialismo, e depois eu vou escrever sobre alguns fatores que permitiram um fortalecimento das economias nórdicas, até o que elas são hoje em dia.
Assim que a Finlândia declarou a sua independência em dezembro de 1917, eclodiu a guerra civil finlandesa entre os brancos e os vermelhos, em janeiro de 1918. Os brancos eram liderados pelo Senado finlandês, já os vermelhos eram alguns esquerdistas finlandeses sustentados e abastecidos de armas pela União Soviética. Os vermelhos queriam trazer o socialismo para a Finlândia, mas os brancos - isto é, o exército finlandês de fato - venceram e o país continuou como uma democracia ocidental.
Na segunda tentativa, a União Soviética atacou a Finlândia em novembro de 1939, no que ficou conhecido como a guerra de inverno. A Sociedade das Nações, precursora das Nações Unidas, considerou o ataque ilegal e expulsou a União Soviética da organização.
O plano do exército vermelho era tomar a Finlândia em algumas poucas semanas, começando com uma declaração de guerra e um ataque massivo. Os finlandeses se defenderam com todas as suas forças e o país jamais foi ocupado. A Finlândia, entretanto, perdeu partes da Carélia, Salla, Kuusamo e Petsamo para a União Soviética. Essas áreas, que foram anexadas à URSS, converteram-se ao socialismo e foram transformadas de lugares ricos para a pobreza.
Os arquivos da União Soviética depois revelaram os planos da União Soviética para o conjunto de operações do noroeste em 1939–1944. Os políticos decidiram que deveriam tomar as terras dos outros países. Isso é socialismo, e é contrário a qualquer código moral.
Eu acredito que você não quis perguntar a respeito dessas pequenas interferências do socialismo na nossa história, em vez disso, você quis saber o modelo nórdico de estado de bem estar social. A diferença deve ser cristalina:
No socialismo, os meios de produção, como as terras e as fábricas devem ser de propriedade coletiva, normalmente do Estado. Socialismo quer dizer confiscar as propriedades das pessoas. Aqui, entre os nórdicos, nós chamamos isso de roubo e é ilegal.
Entre os países nórdicos, nós escolhemos um caminho bem diferente, promover os direitos humanos individuais e o bem estar social. No nosso modelo, nós investimos em duas áreas: educação e assistência à saúde. Nenhuma delas tem nada que ver com socialismo.
Então eu vou mudar a questão para: por que é que o modelo nórdico é tão exitoso?
A resposta é: porque o retorno sobre o investimento em educação e saúde é alto. Os nórdicos criaram um ciclo virtuoso: crianças saudáveis + boa educação -> empresas inovadoras e lucrativas -> contratar novas pessoas -> pagar melhores salários -> arrecadar mais imposto de renda -> arrecadação para manter um bom nível de educação e de assistência à saúde.
Eu vejo a Finlândia e outros países nórdicos investirem continuamente no futuro; educar as novas gerações; cuidar da saúde; empoderar novos negócios.
Você usou a expressão "incrivelmente exitoso". Eu diria o mesmo, mas de uma maneira mais precisa. Nós finlandeses somos uma gente modesta, então eu vou apenas listar alguns rankings mundialmente aceitos.
A Finlândia tem uma das maiores rendas per capita do mundo. Além disso, o país está entre os primeiros em várias métricas de desempenho comparativo entre países, desde educação, competitividade e liberdades civis, como:
Esses feitos não vieram de graça. Você não pode ter um PIB alto e um bem estar social sem empresas lucrativas pra pagar os impostos. Qual é a fonte de renda dos países nórdicos? Bom, cada país nórdico tem a sua história a respeito.
Conforme um dos requisitos do acordo de paz, a Finlândia teve que pagar reparações de guerra no valor de cinco bilhões de dólares em valores atuais para a União Soviética. Então, para entregar dezenas de milhares de máquinas, locomotivas e navios no período entre 1944 e 1952, a Finlândia agrária precisou se industrializar rápido. Desde aquela época, o país se escorou em inovações tecnológicas. Você pode dar uma olhada no índice global de inovação, dois países nórdicos estão entre os cinco primeiros países: a Suécia e a Finlândia. Essas inovação catalizaram novos ramos de negócio, por exemplo: a indústria naval entre as décadas de cinquenta e sessenta, a de telefones celulares entre as décadas de oitenta e noventa e a de jogos para telefones móveis entre as décadas de 2000 e 2010.
Vamos pensar em escala agora de uma maneira mais concreta: a Finlândia é um país pequenininho, de apenas cinco milhões de habitantes. Entretanto, nada mais nada menos que 60% dos navios quebra-gelo foram construídos no país. Em 2016 a participação da Finlândia no total de receitas de 35 bilhões do negócio de jogos para celular foi de 7%. Entre alguns jogos bem famosos desenvolvidos na Finlândia estão: Angry Birds, Boom Beach e Best Fiends.
Na Suécia, eles também são muito bons na criação de novos modelos de negócio globais, como os da Ikea e do Spotify.
O modelo nórdico não quer dizer um apetite por empresas estatais. Ao redor do mundo, muitos países têm os serviços ferroviário e de correios nas mãos do estado. Os países nórdicos, por um outro lado, os privatizaram. Sim, isso diminuiu a qualidade do serviço e causou aumentos nos preços, mas mesmo assim não iremos voltar atrás. Na competição global valem as regras da economia de mercado. Quanto mais nós jogarmos por essas mesmas regras, mais chance teremos de vencermos.
Uma vez que somos países pequenos, nós aprendemos a perseguir sempre a cooperação, para que possamos inclusive sobreviver. Vamos dar uma olhada em um case de negócios.
No final da década de setenta, as operadores de telefonia dos países nórdicos se reuniram e especificaram a primeira rede de telefonia móvel totalmente automática, para substituir as antigas redes ARP (Auto Rádio Fone). O novo padrão se chamou NMT, cuja tradução é Telefonia Móvel Nórdica, que começou a funcionar em 1981. As especificações do NMT eram livres e abertas, o que permitiu a muitas empresas produzir equipamentos segundo o padrão, reduzindo, por consequência, os preços. Redes NMT foram construídas em cerca de vinte países.
Entre os fabricantes de equipamentos NMT estavam: a Nokia da Finlândia (fundada em 1865); a Ericsson sueca (de 1876); a Storno dinamarquesa e depois adquirida pela General Eletric e por fim pela Motorola; a AP, outra dinamarquesa adquirida pela Philips; e a Simonsen Telecom norueguesa (fundada em 1970).
Dez anos depois, outras companhias de telefonias se juntaram ao barco e criaram o próximo padrão de telefonia móvel: o GSM, também conhecido por 2G. A primeira ligação GSM foi realizada na Finlândia em dezembro de 1991.
Os padrões abertos permitiram uma competição acirrada entre os fabricantes, mas mais acirrada ainda era aquela entre as operadoras de telefonia. Enquanto que ao redor do mundo predominava o monopólio de uma única empresa a nível nacional, na Finlândia, havia bastante competição: além da operadora nacional de telefonia estatal, existiam muitas operadoras privadas regionais. No final dos anos 1980, cinquenta operadoras de telefonia operavam na Finlândia, isso era mais do que o número total de operadoras atuando em todos os demais países europeus.
A competição feroz pelos clientes domésticos, disputados entre a operadora de telefonia estatal e seus competidores privados, impulsionou o desenvolvimento de produtos na unidade de maior crescimento da Nokia: a Telenokia, entre os anos oitenta e noventa. Isso preparou a empresa para competir nos mercados globais. Agora, três décadas depois sobraram apenas três grandes marcas de equipamentos de redes de telefonia: a Nokia da Finlândia, a Ericsson sueca e a Huawei da China.
E sim, voltemos ao estado de bem estar social. Sem uma ambiente de negócios bem lucrativo, não há estado de bem estar social. O papel dos políticos é propiciar investimentos a longo prazo na infraestrutura que irá fomentar os negócios. Os investimentos em educação e saúde já provaram ter um alto retorno.
É claro que nem todos os países podem copiar essa mesma trajetória de negócios para sustentar o bem estar social, e nem todos precisam.
As empresas suecas, por um outro lado, provavelmente não fizeram tantas inovações tecnológicas mas criaram modelos de negócio mais revolucionários, como exemplo: a Ikea e o Spotify. As empresas norueguesas sempre puderam contar com a pesca. Em 1969, eles ainda encontraram petróleo sob o mar. Esse tesouro foi transformado em um fundo. Citando os noruegueses: "o objetivo do fundo é garantir uma gestão responsável das receitas da Noruega com gás e petróleo no Mar do Norte de modo que essa riqueza possa beneficiar as gerações atuais e futuras. O nome oficial do fundo é Fundo Global de Pensões Governamentais." Os islandeses também são bons em pesca. As necessidades energéticas deles foram supridas por fontes naturais geotermais e hidrelétricas (do mar). 99,9% da eletricidade na Islândia é gerada a partir de fontes renováveis. Na Dinamarca, a agricultura é bem desenvolvida, e o turismo cresceu a ponto de se tornar o segundo maior negócio.
Você já deve ter lido vários artigos sobre os finlandeses podendo aproveitar da educação grátis e do sistema de saúde grátis. Gostaria apenas de lembrá-lo que nós temos também a opção de escolas privadas e da saúde privada. O desafio do setor público é manter a qualidade tão alta, de modo que as pessoas o prefiram.
Já falei muito sobre números, vamos concluir com algumas histórias:
Sobre educação: na minha juventude eu estudei por muitos anos numa escola pública, então mudei para uma escola privada (que são igualmente pagas, assim como nos EUA), porque eu queria me especializar em algumas matérias, aí eu mudei de novo para outra escola pública, que era considerada a melhor do país. O que eu percebi foi que todas eram igualmente boas. O investimento a longo prazo em educação (e na formação dos professores) criou uma competição tão acirrada que no final das contas as diferenças entre as escolas é pequena. Se você não confia em mim, já que eu sou finlandês, você pode confiar no relatório das Nações Unidas sobre o melhor sistema educacional do mundo.
Já sobre a saúde: minha mãe era filha de fazendeiros, nascida em 1931. Quando ela tinha catorze anos, conseguiu um trabalho de estagiária em um hospital local. Alguns anos depois se formou enfermeira especializada em cirurgias. Ela trabalhou em hospitais privados e públicos. Ao longo da vida dela, ele teve alguns problemas de saúde, como muitas outras pessoas, desde infartos até um derrame que deixou metade do seu corpo paralisado. Em outras palavras, ela conhece bem o sistema de saúde da Finlândia, mas em uma coisa ela é bem teimosa. Sempre que eu sugiro a ela que vá a um médico particular ou a um hospital particular, se recusa. Ela quer ir para o sistema público de saúde, mas não é porque ela acha que o sistema de saúde particular é ruim, com 88 anos, ele prefere realmente o sistema público, que sempre cuidou bem dela. É como uma lealdade a uma marca.
Ah sim, e quanto à Venezuela? Acredito que eles não se esforçaram muito em prover uma boa educação ou um sistema de saúde de alta qualidade. Em vez disso, eles tentaram o socialismo.
O modelo nórdico se preocupa em investir no futuro, enquanto o socialismo se preocupa em roubar do presente. O fundamento do modelo nórdico é permitir às pessoas escolherem o que elas querem, e garantir ao menos bons serviços públicos para suprir as suas necessidades.
Então, respondendo a pergunta:
O socialismo e o modelo nórdico são abordagem opostas, então é mais do que natural que uma dessas abordagens pareça ter alcançado sucesso enquanto a outra é um desastre completo.

FONTE: https://pt.quora.com/Qual-%C3%A9-a-diferen%C3%A7a-entre-o-socialismo-nos-pa%C3%ADses-n%C3%B3rdicos-e-na-Venezuela
submitted by Charles_Bronsonaro to brasilivre [link] [comments]


2019.09.11 16:22 Guigzzt Minha História (Noob) com RPG de Mesa

Opa galera, como estão, tudo na paz?
Pessoas, eu decidi compartilhar com vocês como está sendo minha experiência/história com RPG de mesa porque eu acredito que isso possa inspirar novos jogadores, buscar respostas para algumas dúvidas e aproveitar para passar algumas dicas do que eu aprendi nesses últimos meses como o mestre noob de um grupo mais noob ainda.
Eu tenho 27 anos e atualmente jogo com outros 4 jogadores, todos da mesma faixa de idade. Somos amigos desde a época de escola e sempre jogamos mmos juntos, principalmente se tratando de Tibia. Ao longo de todo esse tempo sempre ouvimos falar sobre RPG de mesa mas nunca resolvemos jogar de fato. Para falar bem a verdade esse tipo de jogo nunca nos despertou tanto o interesse, parecia algo ultrapassado ou defasado (pra que jogar faz de conta se hoje em dia temos computadores e consoles com jogos de RPG como Witcher ou Skyrim, não fazia o menor sentido).
Lá por fevereiro deste ano fui com esses amigos em uma loja de produtos nerds em Porto Alegre atrás de um jogo de tabuleiro e o vendedor nos apresentou o manual básico de Tormenta. Ele nos deu uma breve explicação de como funciona o jogo, as regras, o papel do jogador e do mestre e como fazer as fichas. Todos ficamos um pouco animados com aquilo, principalmente eu. Sou amante de literatura desde criança e histórias de fantasia sempre foram uma fascinação. Folheei o livro por alguns minutos e decidi comprar o pacote completo. Manual, jogos de dados e fichas impressas. Tínhamos tudo o que precisávamos pra jogar e já combinamos uma noitada de RPG pro mesmo dia.
Ser o mestre não foi minha escolha própria, jogaram no meu colo porque era o único do grupo que gostava de leitura e sinceramente eu fiquei bem frustrado na hora porque minha empolgação era jogar e não ter que fazer o jogo. Mesmo assim, matei no peito e quando cheguei em casa comecei a ler o livro. Passei algumas horas entendendo as regras mais básicas e depois desse tempo eu me convenci que era impossível eu fazer uma aventura naquele espaço de tempo. Foi frustrante ter tudo aquilo e não poder jogar mas pelo menos usamos parte da noite pra criar as fichas (acho que levamos umas 3 horas pra terminar kkk). Me prontifiquei a criar uma aventura durante a semana que se seguia e já deixamos marcado para o outro sábado a jogatina. Eu fiz o download de uma versão em PDF do manual que me permitia ler durante os espaços de tempo livre durante o trabalho e no período da noite focava em criar a aventura.
Depois que comecei a ler o manual, peguei interesse pelo universo do Tormenta e seus personagens. Não demorou muito pra eu baixar todos os outros livros. Isso me deu uma enorme empolgação e comecei a esboçar o que viria a se tornar a jornada dos jogadores. Eu pensei grande logo de cara, decidi criar uma campanha ao invés de algo mais episódico porque assim eles poderiam evoluir seus personagens e avançar pela história à partir do nível 1. Também resolvi não usar o universo de tormenta de maneira fiel porque teria que gastar muito tempo lendo pra entender toda a história do cenário e no final das contas não daria para fazer tudo no prazo curto que eu tinha. Sendo assim, utilizei elementos do Tormenta, como mapas, cidades, personagens, mas criando uma história própria porque ao meu ver seria mais fácil do que estudar tudo isso logo de início. Fiquei os 5 dias da semana focado nessa aventura e 1 dia antes de jogarmos eu sentia que ainda faltava um monte de coisa. Virei a noite de sexta pra sábado trabalhando para deixar tudo pronto e a conclusão que eu tirei no fim disso tudo era que mestrar não era só alegria, dava um trabalho monstruoso. Mas tudo bem, trabalho feito, tava tudo perfeito, partiu pra sessão. Peguei manual, dados, mochila, café e muita vontade de botar em prática toda aquela mão de obra absurda e não remunerada da última semana.
Sentamos na mesa, todo mundo com fichas em mão e comecei a narrativa. De início expliquei o background de cada personagem porque dos 4 aventureiros na mesa, 3 não quiseram sequer inventar de quem eram filhos, o que comiam e de onde vieram. Aliás, essa foi a primeira coisa que aprendi logo de cara. Existem tipos de jogadores. E cada tipo de jogador tem um perfil na mesa de jogo. Um dos meus amigos passou a semana escrevendo a história do Elfo ladino dele, chamado Amarash, que daria facilmente um livro inteiro só pra biografia do indivíduo. Os outros 3 só queriam uma coisa. Sangue e morte. Definiram que eram caóticos e malignos e isso era o suficiente pra eles.
Em seguida, dei uma breve introdução e comecei a narrar o jogo em si. Aqui, meus amigos, entra a segunda lição importante que você que está começando a mestrar nunca deve esquecer. Lembrar disso serve para evitar que você perca uma semana de sua vida em questão de minutos. Sim, é isso mesmo, o grupo levou MINUTOS para acabar com minha história e quando menos percebi estava improvisando TUDO! No desespero eu comecei a criar barreiras e reduzir a liberdade de escolha dos jogadores para que eles se mantivessem no caminho certo e mesmo assim nada saiu como o planejado. É lógico que todos notaram e isso reduziu demais a diversão. Durante o jogo eu fiz naturalmente esses "ajustes", só que lá no final da noite quando terminamos eles me criticaram nesse ponto quando perguntei o que estavam achando. Isso foi um choque é claro, mas tive que concordar. Com isso eu aprendi que é primordial não reprimir os jogadores, não retirar da mesa a sensação de liberdade de escolhas, porque essa é a graça do RPG, você inventar estratégias mirabolantes para resolver os problemas que surgem.
Na semana seguinte eu resolvi me adequar e fazer as coisas de outra forma. Eu sabia que tinham coisas muito erradas no modo como estava criando a aventura. Eu escrevi roteiros imensos com falas de PDMs e definia até as condicionais pra cada escolha. Quando parei pra pensar eu vi o exagero daquilo e que não tinha como dar certo de forma alguma justamente porque era impossível saber de fato o que os jogadores iam decidir a todo o instante.
Nesse momento eu percebi que não deveria criar um roteiro pro jogo, mas sim um cenário. Desta maneira, independente do que os jogadores escolhessem fazer eu estaria pronto, eles estariam dentro do espaço da minha aventura. Em um roteiro eu determinava uma sequencia para os eventos que muitas vezes eram necessários para o avanço correto da história, e se os jogadores pulassem esses eventos quebravam tudo e eu partia pro improviso ou reprimia a liberdade para mantê-los no eixo.
Em um cenário as coisas não acontecem assim. Nesse caso eu defino quem os NPCs mais importantes são, sejam amigos ou inimigos e a liberdade é dada aos jogadores para resolverem o problema da maneira que bem entenderem. A regra principal que eu aprendi é NUNCA depender da escolha dos jogadores para que o gancho na história aconteça. Faça o que os aventureiros fizerem a história precisa avançar e é criando o cenário pra aventura que eu aprendi a controlar isso de maneira bem eficiente. Agora tenho muito menos trabalho ao criar a aventura e o jogo ficou muito mais divertido porque a liberdade é total e não existe nenhum tipo de repressão das escolhas.
Se tratando de mestrar, eu também aprendi outra coisa importante que demorou mais do que deveria pra entrar na cabeça e também só fui corrigir quando os jogadores resolveram reclamar. No início eu era o tipo de mestre inimigo dos jogadores. Eu não me importava com nada a não ser a completa derrota deles. A minha ideia era de que os aventureiros eram meus inimigos e eu deveria fazer com que fossem derrotados. Essa ficha caiu quando um dos aventureiros morreu por conta de um inimigo absurdamente mais forte que eu coloquei sem a menor chance deles enfrentarem. O único bom senso que eu tinha era relacionado à continuidade da história e eu não aliviava a barra de maneira alguma independente do que acontecesse.
Quando a gente começa a mestrar é muito legal a sensação de controlar o jogo, o que acontece em seguida, qual inimigo vai aparecer, como o universo vai reagir ao redor dos personagens. É muito fácil você perder o controle diante disso e esquecer o foco principal do jogo que é a diversão mútua. Na atualidade eu já aprendi a dosar muito bem as situações e colocar tudo na balança. Por diversas vezes eu salvei os jogadores pela diversão ou como recompensa por boas condutas em outras sessões. Em contrapartida, condutas ruins na mesa também ficam registradas e são cobradas mais tarde com menos flexibilidade em situações difíceis. Eu acredito que esse balanço seja fundamental para o bom andamento do jogo e para garantir a diversão de todos.
No geral já fazem 8 meses que estou mestrando essa campanha pra eles e finalmente está chegando próxima do fim (pelo menos da história que eu tinha programado). Nós acertamos em fazer uma sessão por final de semana. Nem sempre é possível porque alguns trabalham, mas normalmente dá certo (o maior tempo que ficamos sem jogar foi de 15 dias).
Eu ainda me considero muito iniciante quanto à mestrar e ainda tenho um mar de dúvidas em relação à isso. Uma coisa que me intriga de verdade é se realmente mestres mais experientes conhecem a fundo todas as regras, magias, talentos e habilidades. Apesar de ler e reler tudo o tempo todo ainda tenho muita dificuldade de gravar tudo isso, principalmente magias, talentos e etç. Ainda preciso parar bastante o jogo pra procurar no manual a definição dessas coisas e sinto que essas paradas em momentos mais empolgantes cortam completamente a emoção do momento. Sendo bem sincero, eu invento regras as vezes só para que a situação que está muito legal não seja interrompida por uma eterna busca no livro.
O saldo no final das contas está muito positivo e como eu sei que meus amigos são sinceros (até demais) eu tenho confiança que estão achando muito legal até agora. Eu inseri na campanha elementos de tudo que eu já absorvi na vida envolvendo filmes, livros, games, séries e etç. Um elemento que fez sucesso uns tempos atrás foi retirado de Chapolin, acredite.
Só pra terminar, gostaria de compartilhar com vocês o evento mais lendário de nossa campanha até o momento, até pra colaborar com o outro post do sub que pede justamente pra galera compartilhar esse tipo de coisa.
Eu gosto muito de inventar itens para dar de recompensa em momentos mais importantes. Certa vez eu pisei na bola ao criar um item que se mostrou absolutamente problemático. Parte da minha história consistia em encontrar a tumba de um arcanjo que foi sepultado junto da sua espada (o item em questão).
Essa espada continha um poder abismal, ela matava instantaneamente qualquer coisa que fosse tocada pela sua lâmina (SIM EU FIZ ISSO KKK). Lógico que eu não era louco de simplesmente entregar um item assim pra ser usado sem controle. Quando os jogadores encontram a espada eles descobrem que ela não está intacta, mas que antes de morrer o arcanjo, prevendo o perigo que ela representava graças ao poder que ela continha, tentou usar suas últimas forças para quebrá-la em pedaços. Ele não foi feliz nisso, o máximo que ele conseguiu foi deixar a lâmina com rachaduras e acabou morrendo em seguida.
As regras para usar o item eram as seguintes: O jogador era obrigado a ter talento para manipular espadas de duas mãos e sempre que usasse a espada deveria rolar 1d% para tirar na sorte se a espada iria quebrar ou não com o ataque. A chance de quebra que eu defini foi de 50%, ou seja, se tirassem abaixo disso ela se despedaçaria. Por último, utilizar o item consumiria toda a energia do personagem. Isso significa que sempre que utilizassem a espada independente do resultado o jogador cairia desacordado por 24h.
A criação deste item foi planejada para que os jogadores pudessem derrotar um inimigo específico que era muito mais forte e que iria aparecer no futuro. O problema é que até isso acontecer eles começaram a usar a espada para qualquer inimigo mais poderoso que surgisse. Aí junta isso aos pontos de ação que eu ia distribuindo por conta de boas condutas, jogadas brilhantes e tal, então basicamente, sempre que a espada quebrava eles tinham como rolar o dado novamente. Isso começou a ficar chato demais e depois de um tempo eu decidi destruir essa espada. Em determinada masmorra do jogo eles estavam enfrentando um oponente bem desafiador que tinha dois guardiões para protegê-lo. Era uma luta 4 x 3 que estava realmente difícil e dois dos jogadores já estavam para cair a qualquer momento.
Nessas alturas eu já tinha consciência de que não podia interferir diretamente na questão da espada, se eu dei ela pro jogador e defini as regras tinha que lidar com isso da maneira correta, sem interferir diretamente no assunto. Nesse caso, era essencial que o jogador soubesse que perdeu o item por conta própria e não por minha causa. Quando o combate estava quase perdido, o portador resolveu por um fim na luta usando a lâmina angelical, o problema é que eles ainda não haviam descoberto o segredo envolvendo o boss desta masmorra. A intenção não era matar o inimigo porque ele era indestrutível. Existia um puzzle que eles vinham tentando desvendar desde que a luta começou, e que quando resolvido seria a solução para derrotar o chefe. Era bem simples na verdade, bastava que eles largassem as armas em sinal de rendição. Durante toda a masmorra existiam mensagens, pinturas, livros e outros indícios de que o templo onde estavam reagiria mal à violência ou atos profanos. O próprio boss falava constantemente sobre isso só que os jogadores não conseguiram entender a tempo.
Quando o jogador que portava a espada desferiu o golpe o inimigo foi destruído por um instante, só que alguns segundos depois ele ressurgiu mais forte do que antes (isso já estava previsto nas definições da masmorra). O portador da lâmina como consequência do uso da espada acabou caindo desacordado deixando ela cair no chão. Essa foi minha deixa para que fizesse o boss usar o turno dele para ir até a espada e quebrá-la em mil pedaços. No final das contas, eles demoraram muito mais tempo depois disso para desvendar o segredo de como derrotar esse inimigo. E até lá, tivemos um minotauro guerreiro covarde que foi derrotado enquanto fugia como um cachorro (não foi perdoado por isso até hoje), um druida anão que teve a cabeça arrancada pelo boss graças ao minotauro fujão e eles só conseguiram resolver o puzzle porque o ladino elfo se viu encurralado, sem PVs e convencido de que não sabia mais o que fazer. Ele achou que seria legal dar um tom um pouco mais dramático pro que seria o fim da campanha e decidiu se render e se ajoelhar. Esse é sem dúvida o momento mais memorável dessa nossa campanha noob de RPG. O dia que os heróis venceram porque foram miseravelmente derrotados.
Concluindo, eu só gostaria de salientar o quanto eu gostaria de ter descoberto esse universo mais cedo. Eu e meus amigos ainda somos muito iniciantes, comecei a ler sobre D&D por exemplo somente algumas semanas atrás e ainda tenho muito o que aprender como jogador e principalmente como mestre. Eu acredito que as gerações que estão vindo acabam não conhecendo esse jogo justamente por causa dos mesmos motivos que eu e meus amigos nunca jogamos, nem quando éramos mais novos. Eu espero que esse texto possa despertar essa vontade, mostrar que não precisa uma tela 4k com um hardware de 5 mil reais pra ter uma experiência de jogo completa e incrivelmente divertida.
Aceito dicas, críticas e tudo que vier aí, o importante é continuar aprendendo.
Obrigado a quem leu, um grande abraço!
submitted by Guigzzt to rpg_brasil [link] [comments]


2019.01.10 22:43 AM_RadioShowHost Olá Futebol: Eu criei uma Rede Social de Geolocalização aonde fãs de times de futebol podem marcar seus lugares preferidos para assistir os jogos em publico ! Link na descrição !

Link do aplicativo abaixo (Somente o Android, por enquanto, estou aguardando que a Apple aprove a versão do iOS, atualizarei aqui quando eles o fizerem):
LINK DA PLAY STORE >>> https://play.google.com/store/apps/details?id=com.orbis.orbis&hl=pt
Olá fãs de Futebol. Eu acho que vocês vão gostar dessa ideia. Eu criei uma rede social de geolocalização onde grupos podem marcar onde, em sua cidade ou região, eles freqüentam. Confira os prints e descrição abaixo.
Podemos usar este aplicativo para marcar nossos lugares favoritos para se encontrar com pessoas que também amam o nosso time preferido de futebol, acho que seria perfeito para marcar aqueles lugares aonde esta todo mundo tomando uma cerveja em um bar assistindo o jogo na TV. Vocês podem criar novos grupos ou entrar par algum já exitente.
Já foi-se criados grupos para o Flamengo, Botafogo & Corinthians, exemplo abaixo:
-Exemplo de local de localização do grupo FLAMENGO LOVE: https://imgur.com/d9launL
-FLAMENGO LOVE Descrição: https://imgur.com/nhZb1HD
-Exemplo de local de localização do grupo Fãs do Corinthians: https://imgur.com/oW9kARK
-Fãs do Corinthians Descrição: https://imgur.com/6qvnwrn
-Exemplo de local de localização do grupo Botafogo 22408: https://imgur.com/OcmhvXM
-Botafogo 22408 descrição: https://imgur.com/6aBmVge
Mas você também pode criar um grupo pro seu time !
Descrição & Explicação de uso:
Obrigado por tomar o tempo para ler este texto. Conforme descrito, criei um aplicativo de rede social baseado em mapas para Android
Esta é a home page: https://imgur.com/kRFbKX7
Funciona assim, você faz o download do aplicativo, compartilha sua localização e, em seguida, se inscreve (você pode usá-lo sem se inscrever, mas eu acabei de publicá-lo, então provavelmente não será muito útil em sua região). Você então entra para um grupo existente ou cria um.
Exemplo da sua tela depois de ingressar em um grupo depois de se inscrever: https://imgur.com/lA7Maiz
Depois de criar / participar de um grupo, você pode fazer check-in pressionando o botão com o símbolo de localização na página inicial, que também é a visualização do mapa. Isso fará com que o Google preencha os lugares próximos ao seu redor, você também pode fazer um check-in por GPS ou criar um lugar que você não encontre na lista.
Exemplo de lugares para check-in: https://imgur.com/4dBmIQn
Depois de fazer o check-in em um lugar com seu grupo, você será direcionado para a visualização do mapa, onde verá o círculo com o símbolo do seu grupo exibido girando em torno do local em que você acabou de fazer o check-in.
Exemplo de círculo no mapa: https://imgur.com/f66aC8c
Isso também criará automaticamente uma página de lugar para o local em que você fez check-in. Você pode ver isso clicando no círculo criado recentemente.
Página de lugar: https://imgur.com/Xy6o1tO
Este círculo no mapa marca o território do seu grupo. Se houver mais checkins neste lugar, o círculo irá inflar, e se os dias passarem sem que alguém faça checkin naquele lugar, o círculo irá desinflar até desaparecer. Se outros grupos fizerem check-in e criarem círculos de grupo em torno do círculo do seu grupo e os mesmos tocarem, o círculo mais antigo se esvazia ao ser tocado, é como uma competição por território nesse sentido. Os grupos também competem para ter o maior número de check-ins em um local e, portanto, "conquistá-los". Isso pode ser visto na página do local em que o grupo que é proprietário do local tem a porcentagem majoritária de frequência.
Os grupos que você associa / cria tem um conjunto completo de recursos, como feed de notícias (para que você possa postar fotos, textos e vídeos), locais pertencentes ao grupo, calendário de eventos, membros. Você pode conferir clicando no nome do grupo.
Se minha explicação confunde um pouco, me desculpe. Mas o aplicativo em si é muito simples e a interface do usuário é muito minimalista, não há muitos usuários agora porque que acabei de lançar, mas confira por si mesmo e seja meus primeiros usuários !:
Por que estou fazendo isso?
Eu tenho sido muito inspirado por mapas antigos que eu vi em subreddits como / r / MapPorn, especialmente um mapa chamado Orbis Terrarum, que é considerado o primeiro atlas moderno, em homenagem a este mapa, eu nomeei meu aplicativo Orbis. ;)
De uma perspectiva filosófica. Eu acredito que existe um mapa secreto da sociedade que é composto de grupos de personalidade que estão dentro e ao redor de uma cidade / região, todo mundo sabe onde certos grupos ficam em sua cidade / região, mas isso não está muito bem definido, espero que essa ferramenta pode ajudar a criar essa compreensão e, espero, tornar-se uma espécie de bússola moderna das tribos da personalidade do agora. Espero que este aplicativo possa trazer a mesma sensação de desejo de descobrimento que uma pessoa do século 15 obteria ao olhar para um antigo mapa do mundo e imaginar os mistérios não descobertos por aí. Eu tento replicar esse sentimento e trazê-lo para um nível mais local em formato de aplicativo.
Acabei de publicar recentemente, por isso, se você encontrar algum bug, por favor me avise e tente reiniciar o aplicativo (geralmente reiniciar o aplicativo conerta muitos bugs).
Tente passar por toda a experiência de criar um grupo e fazer o check-in para entender o conceito. Eu tenho facebook e twitter connect, mas se você é sensível à privacidade, você pode entrar com pseudonimo e um e-mail qualquer (tipo como reddit tem seu processo de inscrição)
Obrigado por ler isso até aqui e deixe-me saber o que você pensa. Eu estarei lendo os comentários e sugestões aqui.
submitted by AM_RadioShowHost to futebol [link] [comments]


2019.01.06 06:42 eric1707 Backup de TODA a sessão "Vale Tudo", desde 2012, do forum do UOL no Wayback Machine

Link para o Arquivo: https://web.archive.org/web/20181214222623/http://forum.jogos.uol.com.bvale-tudo_f_57?page=1
Olá amigos, eu me interesso muito por arquivamento de dados digitais e quando fiquei sabendo que o Fórum do UOL ia acabar, aliás, que faltava pouco mais de 1 mês para o fórum ser completamente removido da internet brasileira – ele havia entrado em processo de apenas leitura – resolvi desenvolver um script para arquivar toda a sessão VT do fórum no Wayback Machine.
Para quem não sabe, o Wayback Machine é um excelente serviço duma fundação chamada Internet Archive destinada a, justamente, preservar a história da internet, no qual qualquer pessoa pode enviar páginas para serem arquivadas. Sabendo disso comecei arquivar, literalmente, centenas de milhares de páginas por dia.
Não cheguei a participar ativamente do fórum do UOL, mas ocasionalmente as buscas do Google sempre me levavam lá. E havia uma comunidade vibrante naquele espaço digital. Aquilo foi importante. Eu participei de muitas comunidades no falecido Orkut que hoje em dia não resta mais nada daquilo...
De todo modo, independente de qualquer coisa, é simplesmente uma pena ver um pedaço da história da internet simplesmente ir para o ralo por nenhuma boa razão. Isso certamente é importante e tem valor. Plataformas digitais, seja o Flickr, o Tumblr, o GeoCities não tem a mínima consideração pelos dados do usuário. Uma vez que uma empresa vê que aquele serviço não tá valendo mais a pena, eles dizem “Vamos embora e não vamos mover 1 palha pra facilitar a manutenção daqueles dados por terceiros que estiverem interessados”. Empresas preferem jogar dados na lata do lixo do que oferecê-los para instituições que visam a preservação de dados digitais.
O que custaria para o UOL – uma companhia de centenas de milhões de reais – simplesmente criar um arquivo torrent com todo o banco de dados deles e disponibilizar aquilo? 1TB de dados para eles não é nada. Pensando em tudo isso, comecei a arquivar o fórum.
Para quem tiver curioso, e isso é uma parte mais técnica do processo: Foram por volta de 4 milhões de URLs que foram submetidas ao Wayback Machine (embora o numero de URLs únicas em si fosse menor, algo em torno de uns 2 milhões - é porque tem variações de URLs de um mesmo URL que linkam para a mesma página e que foram arquivadas visando tornar a navegação mais fluida e natural). O número de tópicos por sua vez foi 1.684.603, enfim... questões técnicas à parte o arquivo deve ter dado cerca de 1TB da dados. Só o arquivo index da página, listando as 4 milhões de URLs já tem 480MB.
📷Centenas de milhares de URLs sendo arquivadas por dia.
O arquivo é desde 2012 pois, pelo que eu vi o fórum foi resetado em algum momento e todos os tópicos antes de 1 de Janeiro de 2012 foram deletados ou desabilitados, simplesmente não consegui ter acesso a eles. Tanto que se você clica na última página - há até um certo bugzinho, pois a página "48.063" não mostra nenhum resultado - você tem que voltar até a página "48.059", que, daí sim, começa com o primeiro tópico de 2012 às 00:14 em primeiro de janeiro, intitulado "sou tão loser que até meu pai me zoa" 😂
Algumas observações:
📷
Embora eu tenha tentado verificar todas as URLs, os servidores do UOL ocasionalmente apresentavam uma mensagem de erro ao arquivar uma página e a ela acabava não sendo arquivada ou sendo arquivada a mensagem de erro em vez do conteúdo original da página.
Tentei o melhor que pude verificar os casos onde esses erros ocorreram, mas alguns certamente passaram desapercibidos, devido a gigantesca quantidade de URLs – só de abrir o arquivo TXT listando essas 4 milhões de URLs no programa de texto aqui já travava um pouco. Embora, calcule esses URLs que não foram arquivados não devem representar nem 0,01% de tudo que foi salvo.
Se em algum dos arquivos vocês se depararem com uma mensagem de erro, experimentem fazer uma destas três coisas:
• Mudar o fim do endereço URL, digamos que o link termina em "?page=4", mude ele para "?&page=4"
• Ou vice versa, mudando de "?&page=4" para "?page=4"
• Caso a página não tenha um "page=" no fim do URL, adicione "?page=1" ou "?&page=1"
• Em último caso, se a página tiver algum erro, você pode tentar ver se há uma versão arquivada mais antiga.
Uma coisa que fiz questão de salvar são as 48 mil páginas do index do fórum, que permite, ainda que de modo um tanto trabalhoso, uma vez que a função de busca não funciona no fórum arquivado.
Por último, gostaria de pedir uma coisa a vocês: Quando verem algum conteúdo interessante na internet arquivem ele. Há inúmeros serviços gratuitos onde o usuário pode submeter o URL de uma página com 1 click. Pessoalmente eu recomendo o Wayback Machine e o Archive.Is. Alguém no futuro certamente agradecerá por você ter feito isso.

Arquivo TXT de 480MB com todos os tópicos do VT (contém apenas os links das páginas que foram submetidas, pode ser útil caso você esteja procurando algum tópico específico)
https://archive.org/download/ForumVTUOLDatabase/ForumVT-UOL-Database.txt
Sites que arquivam conteúdo:
https://web.archive.org/web/
https://archive.ph/
http://www.webcitation.org
Enfim, é isso, se tiverem alguma pergunta ou coisa do tipo, só falar...
submitted by eric1707 to valetudo [link] [comments]


2017.11.01 18:01 pedrothegrey Blues in Green em uma quarta-feira chuvosa

I.
Arthur tinha tomado café da manhã às pressas. Esquentou a água sem o açúcar e só percebeu quando engoliu o café com a cara de quem tinha mordido uma acerola bem verde. Caminhou até o ponto de ônibus e parecia que iria chover. Colocou seu MP3 S1 fixado no encaixe de cinto da sua calça e mexeu no fone de ouvido até achar a posição certa para fazê-lo funcionar. Mau contato. Havia comprado esse novo modelo com 512MB e receava molhá-lo. Dois dias atrás tinha deixado na lista de downloads do LimeWire um albúm de Jazz, “A Kind of Blue” e finalmente poderia escutá-lo. Trazia também “Feel Good Inc.” e outras duas mais do Gorillaz, uma tal “B.Y.O.B.”, mas achou muito agitada para uma manhã tão calma, “Ace of Spades”, “Cowboys from Hell” e “I Love Rock n’ Roll” do jogo que havia comprado recentemente, Guitar Hero. Era tudo que tinha pois seu MP3 antigo só suportava 128MB e ainda não tinha tido tempo de baixar tudo que queria.
Entrou no ônibus e pagou a passagem, R$ 1,35. Se incomodava sempre com os 35, pois era inconveniente carregar uma moeda de 25 centavos, uma de 10 e uma nota de um real, com seu beija-flor verde. De todo modo, porquê não R$ 1,25? Arthur se sentou e tentou ajustar o fone, que agora foi tirado do preciso milímetro que o deixava funcionando. Ouve-se, alto, “Hello Moto!” e em seguida um alarme com música eletrônica. No banco ao seu lado, um homem revira os bolsos e pega seu Motorola V3. Olha pelo visor, revira os olhos, respira fundo e abre o aparelho. “Alô? Oi, amor. Não, estou no ônibus, pode falar. Uhum, sei... Mas é o... não? Ah, ela fez isso de novo? Vou te dizer, essa menina não tem jeito. Por mim eu a deixava sozinha, sabe? Ela tem 18 anos, ajuntada com aquele homem que não faz nada pra ninguém. Pois é. Aham. Exatamente, ele não trabalha e... É. Nem gasta tempo com isso, sabe? É gastar energia... isso, é gastar energia à toa. Querida, eu preciso desligar porquê meus créditos vão acabar. Se eu puder te mando um SMS quando chegar. Tá bom, beijos.”
Depois dessa conversa apaixonada, Arthur finalmente consegue ajustar seu fone de ouvido, Blues in Green numa quarta-feira chuvosa. Deus, que coisa boa. O ônibus passa por toda sorte de estradas esburacadas, rios espumantes e pela refinaria de petróleo, com suas torres eternamente em chamas, enrusbescendo o céu noturno. Mas não era noite. Arthur havia chegado na Universidade e chovia fino. Uma brisa leve carregava as gotinhas gentis para seus óculos. Sentou na cantina e pediu um café e um pão com manteiga, 25 centavos. Um par de mãos oculta seus olhos.
— Adivinha quem é. - Disse uma voz feminina.
— Camila? - Arthur respondeu, rindo.
— Idiota. - Ela riu uma risada com gosto de Blues in Green numa quarta-feira chuvosa.
— É brincadeira. - E a beijou.
— Sentiu minha falta?
— É claro, sempre sinto.
— Mesmo quando a gente se fala pelo MSN?
— Especialmente nesses dias.
— Deixa eu ver o MP3 novo. - E o mostrou a ela.
— 512 megas? Não sei nem o que colocar aí dentro. - Ela disse.
— Pois é. Eu também estou perdido, acabei baixando algumas coisas novas, mas nem tenho espaço no computador de casa para tanta música.
— Isso porque você ocupa a máquina com seus joguinhos.
— Half Life não é um joguinho, Jéssica. É um marco.
— Eu acho que é um joguinho.
— Você deve ter razão.
— Sempre tenho.
Saíram da lanchonete e entraram no prédio da Universidade. Se despediram com um longo beijo. Jéssica seguiu para sua aula de 8:30h no 9º andar. Arthur parou na sacada do 3º andar e acendeu um cigarro. Observou os pássaros indo e vindo, os carros que saiam de uma pista de via dupla para uma via de quatro pistas e a fumaça do cigarro. Havia já uma semana que alguns cursos da Universidade estavam parados, incluindo o dele. Greve. Por sorte, Jéssica continuava tendo suas aulas. Ele não podia trabalhar pois o curso poderia voltar a qualquer momento e os horários jamais o deixariam ter um emprego fixo. Essa era a terceira greve do ano. Jéssica ainda não sabia da decisão de Arthur quando ele se encaminhou para a secretaria e pediu, mais tarde naquele dia, o cancelamento da sua matrícula.
II.
O dia anterior, uma terça-feira, foi feriado nacional. Caterine e Umberto, pais de Arthur, faziam planos de alterar o jardim. Queriam comprar vigas de eucalipto tratado e construir um tipo de portal extenso, que seria coberto de uma tela aonde se plantaria maracujá ou bougainville. Não era uma má ideia, mas Umberto detestava gastar os feriados trabalhando. Pela velha tirania de ímpeto conjugal, Caterine o convence a ir comprar a madeira. Ele pede para que Arthur o acompanhe e assim ele o faz. Depois de alguns minutos de um silêncio desconfortável no carro, eles chegam a madeireira. Umberto faz toda sorte de perguntas à vendedora, que o recebe com uma simpatia destoante de estar trabalhando no feriado. Ela diz o preço, R$ 60 por nove vigas de um metro e sessenta de altura. Umberto se interessa e segue para o estoque para conferir os eucaliptos, mas vê de imediato que são pequenos demais para o que quer. Desiste da compra, com um sorriso no rosto. Voltam para casa e contam toda a história para Caterine, que desconfia da boa vontade dos dois.
Mais cedo naquele dia, Jéssica havia chamado Arthur para que a fosse visitar, tomar café e ver um filme novo que havia alugado, “Lord of War” com Nicolas Cage. Ela morava a bons dez ou quinze quilômetros de Arthur. Umberto estava sentado na sala, vendo o resultado dos jogos de futebol.
— Ei, pai. Será que eu posso pegar cinco reais para abastecer o carro e sair com a Jéssica? - Arthur perguntou.
— Hm... - E olhou para ele.
Se levantou e foi para a varanda, onde acendeu um cigarro. Por alguns segundos, Arthur achou que ele havia o esquecido. Quando pensou em perguntar de novo, Umberto o olhou nos olhos.
— Olha, eu não tenho como sustentar você, o carro e a garota. A gente tá apertado e você sabe disso.
— Tudo bem, só perguntei mesmo.
— Quando você trabalhar você vai...
— Eu entendi, tá tudo bem.
— Me escuta.
— Não precisa.
— Ah, então que se... - e xingou.
Arthur procurou pelo seu quarto, na sala e na cozinha por todas as moedas que conseguia encontrar. Achou um total de 80 centavos. Ainda não dava para pagar as duas passagens, muito menos abastecer o carro. No computador de Jéssica, um pop-up: “Arthur s2 está online”. “Estou indo, mas vou demorar um pouco.” ele escreveu. E saiu de casa a pé.
Alguns quilômetros depois, cansado, parou e se sentou num banco. Acendeu um cigarro que havia pegado de Umberto à noite. Ele havia parado na frente do edifício do escritório, seu novo emprego. Tinha mandado o curriculum para lá há um mês e o aceitaram como qualquer-coisa-junior. Tinha a impressão de ser sua carta de alforria. Ninguém sabia, nem mesmo Jéssica. Deu uma última tragada e tomou coragem para continuar a caminhada.
III.
Passaram-se dois meses. Era aniversário de Caterine e a família de Arthur iria se reunir. Estava quente, seco e os olhos de Arthur ardiam. Havia se mudado há duas semanas e meia. Sua casa só tinha uma televisão de 29 polegadas em cima de um banquinho de plástico, uma geladeira, cama, fogão e a mesa do computador. Saiu de casa com o estômago embrulhado. No seu computador, pairava uma mensagem de Jéssica: “Tá aí? Podemos conversar?”. Saiu de casa depressa, como se pudesse fugir da situação.
Chegou na festa. Faziam churrasco e a fumaça nublava o ambiente. Música alta e conversas. Tinham por volta de 10 adultos, mais Umberto e Caterine e umas cinco ou seis crianças correndo sem parar. Arthur deu um beijo na mãe e seu presente. Sentou-se, comeu e conversou todos os típicos papos de famílias que só se veem duas vezes por ano. Foi buscar água dentro de casa, Umberto o acompanhou.
— E aí? Como está indo no emprego? - Perguntou Umberto.
— Indo. Nada de novo.
— E a casa? Conseguiu resolver a documentação?
— Amanhã eu vou terminar.
— E a Jéssica? Tudo bem? Porquê ela não veio?
— Não sei.
— Vocês estão...
— Eu não sei.
— Ela deve ter ficado chateada porquê você largou tudo.
— Duvido.
— Vocês começaram a brigar depois disso, não foi?
— Não.
— Bom, ela deve ter ficado chateada por isso.
— É você que está incomodado com isso.
— Eu sempre achei que você poderia fazer coisa melhor.
— Eu também.
— E porquê você não estudou para aquele concurso?
— Não sei.
— Seu problema é só preguiça. Você tinha o mundo nas mãos.
— Eu ainda posso tentar fazer um concurso.
— Você vai mesmo?
— Não sei.
— Imaginei que não.
A noite chega e Arthur segue para casa. Senta-se na cadeira do computador e mexe o mouse. O monitor de tubo faz estática na tela e o desktop começa a ganhar vida. Quinze mensagens de Jéssica, todas muito grandes. Ele não lê. Segue direto para o banho e depois deita na cama, virado para a parede. Sentia um formigamento na barriga que ia ficando cada vez mais forte, até se tornar dor. Seu coração palpitava cada vez mais forte enquanto sua mente tentava não pensar em tudo aquilo. Nas mensagens e nas decepções... Ele tentava esquecer. Tentava lembrar das músicas novas que havia baixado e dos filmes que iriam lançar no ano seguinte. Mas os filmes ele veria com ela. Não tinha importância, ainda teria lugares para ir, coisas para ser. Ele poderia trabalhar ainda mais longe da família. E esqueceu do seu esforço para esquecer. "E se acabasse? E se ela realmente me deixasse? Não, isso não vai... Vamos conversar e resolver isso. Mas e se realmente... Não, ela só quer conversar mesmo. Nós vamos conversar e ir ao cinema depois. Mas...".
A garganta de Arthur dói, seus olhos ardem. Ele continua olhando para a parede tentando não pensar em nada. Um barulho na porta. Arthur respira, se levanta da cama e tenta não desabar. Encosta, tremendo, na maçaneta e abre a porta. Não era nada. Ele inventou esse barulho na sua cabeça. As dores vão embora mas Arthur continua a tremer. Ele ri da sua situação. Se deita novamente, olhando para a parede. Um barulho de pop-up (o barulho personalizado de Jéssica). As dores voltam lentamente. Deitado de bruços, ouve seu coração batendo como se fosse o de um touro. Sua respiração indo e vindo sem qualquer padrão, enchendo seus pulmões com lufadas de ar irregulares. Pulmão lhe fez lembrar de fumar. Acendeu um cigarro perto da janela. Tragou fundo e sentiu suas pernas fracas e a cabeça pesada, como se fosse o primeiro cigarro. Questionou se era efeito da nicotina. De repente, um novo barulho na porta. Toc toc toc. Com um cigarro aceso na boca, a fumaça lhe queimando os olhos e provocando lágrimas, ele abre a porta.
— Arthur... Precisamos conversar.
submitted by pedrothegrey to EscritoresBrasil [link] [comments]