História de amor 1970

Paulo Cezar Caju e arrogância futebolística brasileira.

2020.07.21 08:04 electric_junk Paulo Cezar Caju e arrogância futebolística brasileira.

O PC Caju escreveu um texto sobre o Jorge Jesus,"Os exageros sobre Jorge Jesus, o novo 'Deus do futebol'", afirmando no subtítulo se tratar de um técnico mediano, o qual simplesmente estava na hora certa e no lugar certo. E, meu Deus, que texto ruim...
Me deparei com o texto por um tweet do Lance, e fiquei espantado com a quantidade de pessoas concordando com a afirmação.
Acho impressionante a arrogância e ignorância do brasileiro ao se tratar de futebol, ao ponto de não aprendermos nada, mesmo que a verdade esteja escancarada na nossa cara.
Vou tentar elucidar alguns pontos...

É inegável que Jorge Jesus fez um ótimo trabalho no Flamengo e chacoalhou o mercado de treinadores, mas não o suficiente para as mesas-redondas, absolutamente todas, gastarem 80% do tempo na cobertura da sua ida para o Benfica. Elogiei sua postura algumas vezes, mas até a página dois. Jorge Jesus é um técnico mediano e pegou um elenco grande e de qualidade bem superior a maioria de seus rivais.

Sem dúvida o Flamengo tem o melhor elenco do Brasil, mas isso não é suficiente. Não dá para creditar o sucesso da equipe apenas ao elenco. Basta ver o futebol horroroso e pouco eficiente que a equipe praticava quando Abel comandava.

(...) O que não dá é para a imprensa brasileira ser pautada pelo futebol português. E será que o Flamengo trará um outro português? Por isso, o Brasil não avança.
Calma lá! O Brasil não avança porque estão buscando alternativas às opções ruins que temos por aqui?! Que diabo de lógica é essa?!

(...) Será que os portugueses estão revolucionando o futebol? Só faltava essa, termos que aprender com a escola portuguesa!!! Respeito a história de Benfica, Porto, Sporting e todos os outros clubes. Qual a representatividade do futebol português na Europa?
Portugal é um país de área pouco maior que as áreas de RJ e ES somadas, com uma população menor do que a do primeiro (RJ tem ~ 17,2 milhões, contra 10,2 milhões em Portugal). Historicamente, possui dois clubes bicampeões europeus, e teve no SCP um clube competitivo em décadas passadas. Atualmente, eles são apenas os atuais campeões europeus. Só isso, mais nada.
Ademais, é consenso que a Premier League é a principal liga do mundo. Em tempos recentes, Portugal já colocou cinco técnicos diferentes por lá: José Mourinho, Nuno Espírito Santo, Marco Silva, André Vilas-Boas e Carlos Carvalhal. Alguns com sucesso, outros nem tanto, mas, ainda assim, é um número considerável.
E o Brasil? Bem, o único técnico brasileiro que já esteve na PL foi o Felipão, há mais de dez anos. Não só isso, o Brasil simplesmente não tem técnicos nas grandes ligas europeias (por favor, corrijam-me se estiver errado). Os poucos casos recentes normalmente são de pessoas já ligadas à um clube, como Ricardo Gomes no Bordeaux e Leonardo no Milan. Depois o Leonardo até teve uma boa e curta passagem pela Inter, mas isso acabou já ha quase dez anos. A desculpa de que não se olha o mercado sul-americano simplesmente não cola quando nomes como Pochettino, Sampaoli e Pellegrini tiveram passagens recentes pelas grandes ligas europeias.

Se JJ é mediano, então os brasileiros são muito fracos. E o que mais se viu foi o negacionismo dos brasileiros. De um ressentido Abel Braga, à um irrelevante Argel Fucks e, não menos importante, um orgulhoso Renato, o qual tomou de cinco após declarações estapafúrdias.

(...) Mas a imprensa transformou Jorge Jesus em um superstar. A carência de ídolos é impressionante. Por que essa imprensa, que só fala o óbvio, não pega o Paulo César Carpegiani e o convida para dar um passeio pela Rua Carioca? Aposto que muitos torcedores da nova geração não o conheceram e ele foi mais longe do que Jorge Jesus, além de ter jogado mais bola.
Zero correlação.

(...) Olha que se fizerem uma pesquisa no Brasil sobre o português mais famoso do futebol Jorge Jesus barrará Eusébio e Cristiano Ronaldo. Como costuma dizer o locutor Sílvio Luiz, "pelo amor dos meus filhinos", paramos no tempo, idolatramos quem trabalha melhor o marketing pessoal.
Parece que quem parou no tempo foi o próprio PC Caju.

(...) e que algum especialista em futebol me aponte alguma revolução ocorrida em nosso futebol, além do melhor preparo físico, nos últimos 50 anos. Eu só vi retrocesso.
E ainda falava sobre parar no tempo. PC Caju esbanja um saudosismo tosco de que antigamente era tudo melhor, não compreende as mudanças que ocorreram no jogo e acaba descartando o jogo como é hoje. Se fosse tudo tão igual assim, nomes como Luxemburgo e Scolari continuariam a ter o mesmo prestígio e qualidade que tiveram nos anos 1990 e 2000. Achar que o futebol de hoje é a mesma coisa que se jogava em 1970 é estar bizarramente fora da realidade.

Além disso, demonstra uma arrogância típica brasileira de que, por um sucesso histórico da seleção, não devemos nada aos outros países. Depois não entende (e talvez nem perceba) como apesar de grande fábrica de talentos, não temos nenhum nome relevante entre treinadores; ou como mesmo com essa supracitada fábrica, não temos um melhor do mundo desde 2007, e mesmo com a desculpa de que essa última década foi dominada por dois jogadores muito acima dos demais, poucas vezes tivemos alguém concorrendo ao prêmio (Neymar 2015 e quem mais?).

E, mais importante: com esse comportamento, talvez não se entenda e nem se perceba como o Brasil não ganha de um europeu em mata-mata de Copa do Mundo desde que foi campeão em 2002. Desde então, quatro jogos e quatro derrotas, para França, Holanda, Alemanha e Bélgica, respectivamente. Sendo que no caso do último, muita gente ignorava justamente pelo argumento de que "nunca ganhou nada" ou "não representa nada no futebol".

Edit: editei porque publiquei sem querer uma versão incompleta.
Edit2: o título saiu errado. Era pra ser "Paulo Cezar Caju, o saudosismo e a arrogância futebolística brasileira." Agora já era...
submitted by electric_junk to futebol [link] [comments]


2020.06.28 07:59 jeduardooliveira Algumas curiosidades das eliminatórias das copas do mundo - Parte VIII

Outras partes: Parte I Parte II Parte III Parte IV Parte V Parte VI Parte VII
1970
- Haviam 132 federações filiadas à FIFA. Dentre estas, 75 seleções se inscreveram para disputar as eliminatórias da copa. Foram rejeitadas as inscrições de: Albânia, Cuba, Guiné e Zaire (hoje Congo). Como Inglaterra e México já tinham suas vagas asseguradas e a Coréia do Norte se recusou a jogar contra Israel, abandonando as eliminatórias da Ásia, restaram 68 seleções para disputar as 14 vagas que sobraram;
- Desta vez a Europa teria uma vaga a menos (8) em relação a última copa, a FIFA não queria ter mais uma vez suas eliminatórias esvaziadas, então concedeu uma vaga para a África e uma também para a zona da Ásia e Oceania. A América do Sul ficaria com 3 vagas e a CONCACAF com uma;
- A França ficou no grupo 5 (UEFA), junto com Suécia e Noruega, que, presumivelmente, seria o alivio cômico do grupo. No primeiro jogo do grupo, a Suécia fez 5x0 na Noruega para a surpresa de zero pessoas. Como era de se esperar, a disputa seria entre França e Suécia, portanto os confrontos entre os dois seriam os últimos da chave. Algo comum na época. Porém, as coisas não saíram como o planejado e, mesmo jogando em casa, os franceses conseguiram a façanha de perder para a Noruega por 1 a 0. Na terceira e última vez que os noruegueses foram ao ataque, aos 18 do 2º tempo. O primeiro jogo entre Suécia e França, em Estocolmo, seria decisivo: se a Suécia vencesse, os franceses estariam fora da copa. E a Suécia não desperdiçou a chance, fez 2x0 e despachou a França;
- George Best é muitas vezes considerado o melhor jogador Britânico de todos os tempos. Jogava no Manchester United e foi campeão europeu de clubes em 1968. Norte Irlandês, não teve muita sorte com sua seleção. Nestas eliminatórias, sua seleção foi eliminada pela URSS após ter empatado em casa e perdido em Moscou, em jogo que Best não participou por estar contundido. Best faleceu em 25 de novembro de 2005, aos 59 anos, quando cerca de 100 mil norte irlandeses saíram às ruas de Belfast para acompanhar o cortejo de seu sepultamento.
- Tchecoslováquia e Hungria decidiram a vaga em um jogo extra, já que empataram em pontos no seu grupo. O empate classificaria os húngaros, que tinham melhor saldo. O jogo, na França, foi 4x1 para os tchecos que fizeram com a Hungria, pela primeira vez, fosse eliminada da copa nas eliminatórias;
- A Argentina começou muito mal as eliminatórias, perdendo os dois primeiros jogos, primeiro para a Bolívia, na altitude de La Paz, e depois para o Peru, ambas fora de casa. Poderia ter sido eliminada antes mesmo de jogar em casa, caso a Bolívia, que já havia vencido o Peru no primeiro jogo, saísse vitoriosa também no segundo, em Lima, mas o Peru venceu por 3x0. Então a Argentina deveria vencer os dois jogos, em casa, para forçar um empate triplo. 1X0 contra a Bolívia, no primeiro jogo, de pênalti (polêmico), mostravam que as coisas não estavam indo bem. A HECATOMBE ocorreu uma semana depois, em La Bombonera, com gente saindo pelo ladrão, com tudo que tinha direito a seleção argentina enfrentaria o Peru. Era obrigatório a vitória. O Peru não só conseguiu segurar os argentinos, como quase venceu, o gol de empate portenho só aconteceu aos 45 do segundo tempo, na verdade, uma goleada peruana poderia ter sido mais condizente com o que foi o jogo. A Argentina ainda colocou uma bola na rede nos acréscimos, que foi anulado pelo juiz e, talvez, fosse legal, mas àquela altura quando já havia expulsado um jogador Peruano, parecia que a lei da compensação havia prevalecido. Um doce 2x2 para os peruanos treinados pelo brasileiro Didi. Esta foi a única vez que a Argentina não jogou a copa por cair nas eliminatórias; Lances do jogo. Reportagem sobre o jogo.
- Já o Brasil passeou nas eliminatórias com 6 vitórias, sendo 4 goleadas, em um grupo com Paraguai, Colômbia e Venezuela. O Brasil fez 23 gols e sofreu 2, Tostão fez 10 e Pelé 6. O último jogo, no Maracanã, contra o Paraguai , bateu o recorde oficial de público pagante: 183.341. Em 1950, provavelmente houve o maior público total, com mais de 200 mil pessoas, mas foram 173 mil pagantes. Alguns gols do Brasil nas Eliminatórias.
- Uruguai, por sua vez, usou da malandragem para se classificar. Como os clubes não eram obrigados a liberar jogadores para as seleções, os clubes uruguaios se recusarem a liberar importantes jogadores dos seus rivais, Equador e Chile;
- Chegamos ao evento que ficou conhecido como: A GUERRA DO FUTEBOL. No Final de 1968, a situação política em Honduras não andava nada boa. O Presidente Oswaldo López Arellano, enfrentava seguidas greves e manifestações causadas pela má situação econômica do país e pelo alto desemprego. Os motivos eram muitos, mas Arellano resolveu atacar a imigração salvadorenha. Como havia gente sobrando em El Salvador (3,3 milhões) e terras sobrando em Honduras (5X maior e 2 milhões de pessoas), mais de 300 mil salvadorenhos cruzaram a fronteira a partir de 1960 e se estabeleceram em solo hondurenho. Em junho de 1969, o presidente Arellano decide expulsar os invasores, medida que provocou o deslocamento de tropas militares de ambos os países para suas fronteiras. Enquanto as tropas se deslocavam, as Eliminatórias se desenrolavam. Em 8 de junho, Honduras recebeu El Salvador os hondurenhos foram manifestar seu amor à seleção e seu desapreço aos salvadorenhos. Venceram por 1x0, aos 44 do 2º tempo. O jogo da volta aconteceu uma semana depois, debaixo de muita água, El Salvador venceu por 3x0. Um dia depois, o presidente de Honduras, Arellano, determinou que todos os Salvadorenhos deixassem o país, “nem que seja por fuzis”. O exército Salvadorenho, maior (21 mil homens contra 13 mil de Honduras) e mais bem equipado, sob o pretexto de proteger seus cidadãos, invade Honduras. Quando as equipes foram realizar o jogo desempate, no dia 26 de junho, a guerra já havia acabado (durou apenas 100 horas). Esse jogo, ao contrário do que se pensaria, foi tranquilo e até emocionante. El Salvador ficou duas vezes a frente do marcador, Honduras empatou me ambas. Na prorrogação, Pipo Rodriguez fez o gol que classificou El Salvador para a próxima fase (Sim! Teria mais uma ainda). Finda a partida, os 22 exaustos jogadores se abraçaram, demonstrando a inutilidade da guerra, que teve o saldo de 2 mil mortos. El Salvador conseguiu se classificar para a copa depois de bater o Haiti na prorrogação do jogo desempate, também.
Um pouco além das Eliminatórias:
- Pelé era o jogador mais bem pago do mundo, com salário mensal de 50 mil cruzeiros (11 mil dólares). Alguns outros jogadores brasileiros, como Gérson, Rivelino e Tostão, ganhavam metade disso, mas mesmo assim seus rendimentos totais eram equivalentes aos das estrelas do futebol europeu.
- O Brasil é, até hoje, a única seleção a vencer todos os jogos desde as eliminatórias até a final da copa do mundo.
- Durante o sorteio dos grupos da copa, o Comitê decidiu que o Brasil não participaria do sorteio (foi o único país, na história das Copas, a não ser nem indicado para cabeça-de-chave, nem sorteado para um grupo). Os dois cabeças-de-chave pré-designados foram o México no Grupo 1 e a Inglaterra no Grupo 3. O Brasil, por sua tradição, seria o cabeça-de-chave do Grupo 2. O México não aceitou, pois nas Quartas de Final haveria o cruzamento dos Grupos 1 e 2, com o consequente risco de um confronto prematuro entre México e Brasil. Logo, o Brasil teria que encabeçar o Grupo 4, mas aí o Comitê Organizador não achou uma boa ideia – o Brasil era a maior atração da Copa depois do México e o Estádio de León só comportava vinte mil pessoas. Como o outro Grupo que não cruzaria com o México nas Quartas seria o 3 (o da Inglaterra), o Comitê decidiu que o Brasil seria incluído nele.
- Em 2007, a seleção brasileira que venceu a Copa do Mundo de 1970 foi eleita a melhor de todos os tempos em uma pesquisa global com especialistas realizada pela revista World Soccer. Aliás, todas as vezes que ganhamos a copa, enfrentamos eles (e nunca perdemos), a única vez que não enfrentamos os Ingleses e vencemos a copa foi em 1994, já que eles não se classificaram, porém enfrentamos seus “filhos”, os EUA;
Fontes:
A grande história dos mundiais 1962, 1966, 1970, do MAX GHERINGER (2018).
https://trivela.com.bcopa-copa-historia-completa-da-repescagem-intercontinental-nas-eliminatorias/
GEHRINGER, Max. Revista A Saga da Jules Rimet. A História das Copas de 1930 a 1970. Editora Abril, 2006.
https://www.fifa.com/worldcup/archive/england1966/
https://trivela.com.bos-50-anos-do-maior-publico-oficial-da-selecao-os-170-mil-contra-o-paraguai-em-1969/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Eliminat%C3%B3rias_da_Copa_do_Mundo_FIFA_de_1970
https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_do_Futebol
https://oglobo.globo.com/esportes/selecao-brasileira-de-1970-a-melhor-de-todos-os-tempos-4176567
submitted by jeduardooliveira to futebol [link] [comments]


2019.09.29 20:15 altovaliriano [Domingo de Podcast] O podcast do próprio George R. R. Martin

Após o lançamento de O Festim dos Corvos em 2005, George R. R. Martin começou um projeto de Podcast que resultou em 8 episódios em que o autor fala sozinho sobre diversos assuntos. Durante a escrita de A Dança dos Dragões, Martin matinha-se em constante contato com fãs e inclusive fornecia relatos do progresso da escrita, além de ter gravado este podcast. Martin não faz mais este tipo de coisa, pois disse que é contraproducente. Só piora a ansiedade e expectativa dos leitores.
Os episódios podem ser encontrados em http://www.georgerrmartin.com/grrm-podcast/. Abaixo faço a sinopse dos episódios:
  1. Ep. 01 - Origens de ASoIaF;
  2. Ep. 02 - História de Martin como escritor;
  3. Ep. 03 - Fala sobre a profissão de escritor de SFF (Ficção Científica e Fantasia) e dá conselhos a escritores novatos;
  4. Ep. 04 - Como foi a época dele em Hollywood;
  5. Ep. 05 - Influências literárias e projetos pós-ASoIaF;
  6. Ep. 06 - Lê um pouco do prólogo de Festim dos Corvos e comenta a escrita deste capítulo e outros assuntos sobre o livro;
  7. Ep. 07 - Jogos baseados em seus livros;
  8. Ep. 08 - Cultura de fã e seus próprios fãs.
A esmagadora maioria do conteúdo destes Podcasts não será novidade para quem já leu algumas entrevistas de Martin e/ou sua coletânea "RRestropectiva da Obra".
Contudo, algumas partes merecem destaque:
-----------------------
O podcast sugerido dessa semana é um que o próprio Martin deu destaque em seu site, chamado Podcast of Ice and Fire. Este é dito ser o podcast mais antigo dedicado a ASoIaF e Game of Thrones e já foi laureado com o prêmio The Geekie Awards.
Eu ainda não ouvi nenhum epísodio, mas seus apresentadores continuam a produzir conteúdo até hoje e diversos projetos paralelos foram criados por eles, desde outros podcasts até um canal no Youtube.
O Podcast também tem um fórum próprio.
Martin assim comentou sobre o trabalho deles em 2013:
Na verdade, eu nunca conheci o pessoal do Podcast of Ice & Fire ... mas eu os ouvia de vez em quando, e eles parecem se divertir muito. Eles nem sempre estão certos, mas são [quase] sempre interessantes e merecem ser ouvidos. Então, experimente, se você é um fã de podcasts. Você pode encontrá-los conversando sobre o show, os livros e ... por razões que não compreendo totalmente... Casa Manwoody.
Link para o site do Podcast: http://podcastoficeandfire.com/
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2015.04.17 23:39 gutoprica Um Deus que ama a beleza.

“Ele fez tudo apropriado ao seu tempo”. Ec. 3:11.
“Uma coisa pedi ao SENHOR; é o que procuro: que eu possa viver na casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do SENHOR e buscar sua orientação no seu templo.” Sl. 27:4.
Tudo o que Deus criou é bonito! Nada no Universo é sem cor, forma ou estilo. Ele transforma cinzas em beleza. Ele é o “Cântico dos Cânticos,” o “Oleiro,” o “Senhor da Beleza”. Ele é belo. As Artes revelam o Criador através da Música, palavras, cores, Design, equilíbrio, movimento, harmonia, ritmo. Davi disse que as estrelas cantam a glória do Senhor e existem físicos, hoje, que acreditam que é bem possível que os planetas vibram em perfeita sintonia. No sétimo dia da criação, Deus descansou. Não devemos pensar nesse descanso em nível de cansaço comum, porque Deus não sofre de fadiga. Devemos pensar nesse descanso como um tempo para contemplar a beleza da criação, saborear a qualidade de tudo o que Ele criou. Os atributos de Deus revelados através das Artes são: beleza, descanso e celebração. O propósito de Deus para essa área é nos renovar e nos restaurar, proporcionando-nos alegria pelo nosso trabalho.
Sou um artista cristão ou um cristão que é artista?
Os artistas cristãos de hoje em dia têm muita dificuldade para compreender o propósito de seus talentos. Se sua obra não fala diretamente sobre Jesus, ela ainda tem algum valor? Eles devem ou não trabalhar em produções com não-cristãos? Quando alguns vêem uma construção magnífica, ou uma pintura, uma peça teatral, ou um espetáculo maravilhoso, eles tendem a perguntar se a produção foi realizada por cristãos, como se isso validasse a beleza. Porém, a beleza em si já é um atributo de Deus. Colocar um adesivo escrito Jesus sobre as coisas, não as tornam mais bonitas. Pregar o Evangelho pode ser bonito, mas, a beleza, não traz uma mensagem adicional necessariamente. Podemos ter arte e beleza nas igrejas, mas a arte não tem de estar diretamente relacionada com uma expressão eclesiástica, para poder revelar Deus.
Qualquer coisa, incluindo tipos de música, notas musicais ou instrumentos podem ser utilizados para o bem ou para o mal. Não existe algo como notas musicais demoníacas, ritmos ou instrumentos demoníacos. Satanás não é o dono de nada disso, assim como ele não é o dono da lua, dos cogumelos ou das cores. Tudo é criação de Deus. Qualquer coisa que Deus tenha feito pode ser usada para adorar Satanás, mas também, pode servir para revelar Deus. Temos a tendência de achar que as músicas antigas são mais espirituais e que qualquer coisa muito moderna se torna suspeita, ou então, má. Obviamente, isso tem mais a ver com gosto pessoal que com Deus. Nós escutamos satisfeitos, os bonitos hinos luteranos, pois, eles revelam virtudes espirituais. O que a maioria de nós não sabe, é que Lutero colocou letras cristãs nas músicas favoritas dos bares da época. Eu queria saber o que os cristãos alemães daquele tempo pensaram dessas músicas populares sendo usadas pela igreja.
As Escrituras revelam três temas na Música
Ao estudarmos artes e música nas escrituras, encontramos registrados três temas: adoração, é claro, canções nacionais ou políticas e canções de amor. Uma canção de amor ganhou um livro inteiro – Cantares de Salomão. Atualmente, adoração, hinos, louvor e salmos são todos considerados importantes, mas, perdemos a capacidade de celebrar o amor humano e o amor pela nação. Se observarmos os hinos nacionais do mundo todo, você vai perceber que a grande maioria deles, escritos antes de 1970, mencionam Deus e Suas bênçãos. Até o Século passado, era entendido que Deus está envolvido na vida política de uma nação, até que algumas nações começaram a remover de seus hinos essas referências a Deus.
Será que foi por causa da secularização do país ou por causa da igreja, que perdeu a compreensão da atuação de Deus na área Política? Onde estão as canções de amor? Nossas ondas sonoras estão abarrotadas com mensagens de amor que são, no mínimo, degradantes ou lascivas. Porém, quando um músico que seja cristão escreve e apresenta uma bela celebração de amor humano, nós o acusamos de estar sendo “secular” ou de não estar sendo fiel à sua fé, não apresentando Jesus. As Escrituras celebram todos esses temas da Música e os usam para revelar Deus.
Se definirmos ópera como uma história em forma de música, então em Dt. 32, Moisés nos apresenta uma ópera muito antiga, senão a primeira a ter sido criada. Esse impressionante líder político entendia tanto a importância da Música na vida de uma nação que, ao final de sua vida, compôs uma obra que continha princípios importantes a serem lembrados por seu povo. E Moisés recitou as palavras desta canção, do começo ao fim, na presença de toda a assembléia de Israel…
As disciplinas das Artes
Assim como a Ciência, Deus governa as Artes por meio de Leis que regem cada disciplina: leis de Estética, Harmonia, Ritmo, Dissonância, Cor, Forma, Design, Estilo, Espaço positivo e negativo. Seja na Dança, na Escultura, na Pintura, na Literatura ou na Composição Musical, todos os artistas compreendem que existem princípios através dos quais cada uma dessas disciplinas funciona. Dominar esses princípios é fundamental para obter habilidade. Talento, então, é fazer esses princípios desaparecerem em meio à expressão artística. Pessoas “não-salvas” criam coisas belas porque são feitas à imagem de Deus. O único problema, é que elas não se dão conta de quem é a fonte de seu talento ou de seu amor pela beleza. Eles não conhecem quem lhes deu seu talento, mas, ainda assim, seu talento celebra Deus. Eles não sabem a quem agradecer. Mas, o fato deles conhecerem, ou não a Deus, não muda a beleza de suas criações. Nem palavras em Hebraico podem tomar uma melodia mais bonita. A beleza tem um valor intrínseco, ta! como a extensão da natureza e do caráter de Deus.
Morno
Muito daquilo que hoje chamamos de Música e Arte cristãs, é, no mínimo, medíocre. Talvez, porque pensamos que a única coisa que importa é se essas falam sobre Deus. E importante apresentarmos a mensagem de Cristo. Contudo, é tanto um absurdo quanto um perigo, pensarmos que a única coisa que importa num cirurgião é o seu amor por Deus e que sua técnica em cirurgia não é relevante. O coração do indivíduo e a destreza de uma profissão são duas coisas diferentes e Jesus é Senhor sobre essas duas coisas. Como pessoas que cremos no Deus Criador, você e eu temos de valorizar tanto a prática quanto a postura correta diante Dele. Temos de celebrar a beleza pelo próprio valor dela, porque Ele é o Senhor do Belo, o Criador de todos os dons, e também, temos de promover o relacionamento do artista com Cristo, o Criador de seu talento.
Não existem tribos, nações ou culturas que não tenham Arte, Música ou Esportes. Beleza, canções e celebração existem antes da Humanidade. Eram expressos em Deus, antes de existirmos e até hoje O revelam. Não precisamos justificar o nosso amor pelos Esportes ou Artes como uma oportunidade para evangelismo. Podemos ou não achar isso apropriado. Não há problema em desfrutarmos dos dons e talentos dados por Deus somente pelo seu valor natural. E uma forma de adoração ao Criador.
Temas para procurar quando você estiver estudando e colorindo o que as Escrituras dizem sobre Artes e Entretenimento: música, design, esportes, dança, cultura, vestuário, poesia, literatura, destreza, cores, esculturas e beleza.
A área das Artes e Entretenimento revela: o Cântico dos Cânticos, o Oleiro
O principal atributo de Deus revelado através das Artes e do Entretenimento: Beleza
Deus governa essa área através: das Leis de cada disciplina
Quer você tenha talento usando seu corpo, ouvidos ou olhos, seu talento é uma celebração de Deus e uma parte do Seu chamado em sua vida. Fomos criados para celebrar Beleza e Alegria, como também, para precisar delas. Você é parte da resposta de Deus para essa necessidade. Tudo que Ele criou, quer no micro ou no macrocosmos, é belo e foi criado com som. Então, esteja você celebrando através do trabalho da igreja ou ministrando para os não-crentes, você está servindo a Cristo. Você e testemunha Dele através de suas habilidades e de sua vida. Você não precisa justificar o seu talento, fazendo material religioso ou ajoelhando em oração quando se sair bem, apesar de poder fazer os dois. Seu talento é justificado por ser parte da natureza e do caráter de Deus em você. E parte de quem Ele é e de como Ele fez você. O talento que você tem revela Deus. O mundo precisa de seu talento e da celebração da Beleza e da Alegria que Ele traz. Não impeça o seu talento de fluir. Vamos começar a Nova Renascença.
submitted by gutoprica to brasil [link] [comments]